Jump to content

A_Galvs

Members
  • Content Сount

    30
  • Joined

  • Last visited

  • Battles

    7958
  • Clan

    [STAR]

Community Reputation

25 Neutral

About A_Galvs

  • Rank
    Seaman
  • Insignia

Contact Methods

  • Discord
    BRZL_Jirachi #0468

Profile Information

  • Gender
    Male

Recent Profile Visitors

572 profile views
  1. A_Galvs

    Build e mod Submarino

    A respeito da quebra de módulo lançador de torpedo, como o valor é dado em porcentagem o cálculo é feito a partir de uma multiplicação ao invés de uma somatória mostrado a seguir. Supondo que o valor seja igual a um (1), o resultado será 0,264 ou 33/125. Multiplicado por 100, você obtém a porcentagem de 26,4%. Ou seja, a cada carga de profundidade*** ou projétil explosivo tem 26,4% de chance de incapacitar o módulo responsável pelo lançador de torpedo. Vale ressaltar que um foi apenas um exemplo pois eu não faço ideia de qual valor ou constante está sendo usada para controlar a resistência de módulos do submarino. Em relação aos outros bugs como este suposto "bug do óleo infinito", eu sugiro anexar um replay e dar mais detalhes a respeito dele para poder identificar a causa raiz do problema. *** Aparentemente cargas de profundidade conseguem incapacitar módulos com mais facilidade dependendo da distância dela e do submarino.
  2. A_Galvs

    Navios Mitos virou Lenda

    Kitakami é o barco mais problemático do jogo onde tiveram que retirar da venda e substituir pelo Atago a vários anos atrás. Após isso ele foi inteiramente removido do jogo até ser (re)adicionado novamente desta vez no Tier 10. Mesmo com alterações, ele ainda continua sendo um barco extremamente distruptivo para o jogo pelos seguintes motivos: Qualquer DD Tier 10 ganha dele na bala por apenas haver quatro armas de 140 mm fazendo o DPM de HE ser muito ruim. Por ele ter a melhor DPM de Torpedo do jogo, isto incentiva as pessoas a fazer divisões de Kitakamis. Algo que a WG expressou para todos os testers não fazerem isto. Exemplo 1, Exemplo 2 e Exemplo 3. Kitakami faz parte da Classe Kuma, representado no WoWS com um Cruzador Tier 4 de mesmo nome. O casco dele é muito frágil para ser posto no Tier 10 o que acaba denegrindo bastante a gameplay do mesmo Tier ao precisar receber muitas gimmicks com o intuito de fazer o barco funcionar. E por fim, foi até comentado de que é bem possível que ele não será lançado. Sevastopol é um barco que não consta mais como navio de teste de acordo com os arquivos do jogo e suponho que ele não foi colocado a venda ainda pelo simples motivo de eventos externos na qual eu não irei mencionar o que é mas todos estão sabendo.
  3. A_Galvs

    Waterline: Roadmap Update – Spring 2022

    Soooooo uhhhh is there zero mentions about HMCS Huron? We had an update about two months ago but nothing so far. I wonder what happened to the ship.
  4. A_Galvs

    Futuro que não se sabe.

    Por mais que alguns aspectos do jogo acabem se degradando com o passar do tempo, World of Warships ainda está longe de ser um jogo caminhando para modo de manutenção (serviços do jogo ficam disponíveis, mas não é mais produzido conteúdo novo) ou até mesmo o fechamento dos servidores (término dos serviços do jogo). Hoje mesmo saiu um novo episódio de Waterline onde é mostrado os planos para os próximos meses e recomendo dar uma olhada para matar a ansiedade do futuro.
  5. Damn I missed that part at the end of the section. Please forgive my previous inattentive comment.
  6. In the Supercontainer section, it mentions the following: As of now, there are several camouflages available to be acquired and the article does not show the rates of said camos. Does it mean that a Type 59 and Gamescom Black camos have the same drop rate or these are different? What about the rare Asian themed camos? Is it even possible to see such camos as SC Drops? Please can someone share some light about this matter?
  7. A_Galvs

    O Jogo pode sofrer sanções?

    Teoria e pratica são de fato coisas completamente diferentes e não tem como prever com um evento X pode afetar evento Y, W, Z e etc. Mas recomendo a não discutir não discutir tais assuntos aqui neste fórum já que é claramente algo que consta nas regras para não se debater neste recinto. Espero que pelo menos tenha esclarecido a posição da empresa.
  8. A_Galvs

    O Jogo pode sofrer sanções?

    De acordo com uma postagem feita por Ahskance, representante da WG, WoWS não será afetado por conflitos e guerras por fazer parte de um negócio internacional. Vale lembrar que a Wargaming em si é uma empresa baseada em Chipre e o estúdio responsável pelo desenvolvimento do jogo é a Wargaming São Petersburgo, mais conhecido como Lesta Studio.
  9. Yes it is OP as hell. GC is by all means a mini-Slava at Tier 5 because its guns are busted thanks to best sigma in the tier. Wanna make it even more busted? Put Luigi Sansonetti in command of GC and watch it shreds the enemy team.
  10. A_Galvs

    Como seria uma Árvore Brasileira no WoWs?

    Napoli na verdade não é o design que está se referindo, mas sim um projeto vendido para a URSS que passou por revisões e "mutações" até se tornar o Projeto 69 que é o Kronshtadt dentro do jogo. Tanto é que são parecido em alguns aspectos de design. Também há alguns aspectos que a WG mexeu para possibilitar a adição dele dentro do jogo como é coberto neste artigo. Mais um adição: Marco Polo e Giuseppe Verdi são os UP 41 que serviram de inspiração para os Sovetsky Soyuz como é relatado neste artigo. Nunca entendi muito o problema de dar certos nomes a navios de guerra. Em outra nações podemos notar alguns exemplos: A URSS construiu vários navios Projeto 68, que são os múltiplos Chapayevs e suas subclasses. Um desses barcos presente no jogo é o Cruzador Premium Soviético Tier 8 Mikhail Kutuzov, que recebeu o nome do general responsável por derrotar Napoleão após múltiplas batalhas e prevenir que toda a Rússia acabasse caindo no Sistema Continental (junto com a Espanha naquela época). Pode se notar que essa figura histórica serviu durante o Império Russo governado pelos Romarovs, a mesma dinastia que foi eventualmente eliminada pelos Bolshevik que eventualmente formaram a URSS. Pode se notar que vários outros Chapayevs usaram nomes de figuras que participaram na instauração do novo governo na Rússia e países adjacentes, mas um barco da classe recebeu o nome de uma figura do antigo regime pelas suas conquistas que nem mesmo os soviéticos podiam contestar ou negar. Vários navios alemães da segunda guerra mundial usam nomes de tanto generais (Scharnhorst, Blücher, Gneisenau), tanto de almirantes (Almirante Hipper, Tirpitz) e tanto de figuras políticas (Prinz Eugen, Bismarck). Creio que se o nome não estiver atrelado a certas controvérsias que nem foi o caso do Encouraçado Premium Alemão Tier 9 Ludendorff que virou o que conhecemos hoje como Pommern daria para ser colocado no jogo. O nome Deodoro poderia ser usado e não vejo o motivo para restringir só por uma questão política. Eu garanto que seria bem menos ridículo que o Congress heh.
  11. A_Galvs

    Batalhas Historicas

    Pelo simples fato de que Batalhas Históricas do jeito que aconteceram não resultariam em boa experiência de jogabilidade. Na maioria das vezes, um lado tem uma força muito maior do que o outro e consequentemente facilitaria na vitória naquele lado com a maior força. A solução que a WG implementou para igualar as força é as Batalhas Assimétricas já que é balancear por quantidade versus qualidade é muito melhor do que separar por facções. Ano passado tentaram fazer Aliados versus Eixo onde apenas navios históricos do Tier 8 poderiam participar e descobriu-se que um lado é claramente mais forte do que o outro. Eu mesmo fui naquela iteração do PTS e pude confirmar pessoalmente que era o caso. Sobre as Operações, a WG divulgou múltiplas vezes que uma porção do conteúdo "Player versus Environment" estaria sido engavetado por falta de interesse. Porém surgiu uma informação inédita no anúncio sobre o estado jogo ano passado de que um outro grande motivo para a ausência de conteúdo PvE é que o CV Rework quebrou a IA dos barcos de várias operações onde há aviões presentes. Na operação Dynamo por exemplo, todos os aviões eram lançados de CVs (eram Bogues se não me engano) invisíveis e fora do mapa para simular os vários ataques aéreos vindo de bases terrestres. Além deste problema citado, o próprio Sub_Octavian admitiu (em uma live-stream que foi um Q&A com MrConway e Crysantos) que a falta de interesse ainda é algo sem solução e precisaria ser feito algo para resolver isto em conjunto com o problema da IA. Mas caso ainda queria tanto realizar batalhas históricas, sugiro formar um grupo de jogadores e ir em uma Sala de Treino e simular algumas das batalhas que o ocorreram no século passado. Tanto é que fizemos algo parecido ano passado: pegamos vários navios franceses, americanos e de outras nações para simular a Guerra da Lagosta, um conflito que quase ocorreu na década de 60. Caso houvesse uma eclosão deste conflito, iriamos retornar ao meu ponto inicial desta postagem: o Brasil não iria ganhar na área naval nem dentro do jogo e nem na vida real.
×