Jump to content
  • Content count

    8
  • Joined

  • Last visited

  • Battles

    8026

Community Reputation

0 Neutral

About Livnick

  • Rank
    Seaman Recruit
  • Birthday 12/18/1990
  • Profile on the website Livnick

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    SE Brazil
  • Interests
    World of Warships, World of Tanks
  1. I believe that radar mechanic could be improved to be only effective if between you and the target ship have an unobstructed LOS. That would eliminate the "cruiser hold a strong position behind an island and using radar every cooldown" as it would create a risk-reward scenario (if I play aggressive, I will be rewarded by using effective my consumable) without excluding the consumable completely at the same time.
  2. Preços mais baixos BR

    Ótimo ver uma iniciativa dessa por parte da WG, mostra que eles acreditam sim no mercado LA. Querendo ou não, por mais que o preço esteja em dólar é complicado equiparar o poder aquisitivo de um jogador dos EUA e um daqui. Discussões econômicas a parte, já posso deixar de "namorar" os navios na Premium Store e já ficar de olho nos bundles deste mês...
  3. Premium Battleship suggestions

    I believe that Minas Gerais would be a nice addition into the game. The ship carried a lot of history and importance as it started the South-American Dreadnought race in early 20th Certury.
  4. 0.5.16 Bug Reports

    Since this last patch I've started to notice a considerable FPS drop during my games (in a more CQ situation). I've checked my video card driver (GTX-965M) and it is up-to-date. I also tried to set all the graphic settings to low in order to see if I've had some improvement, but the problem persisted. I have a Asus G751JW (Intel i7-4720HQ @ 2.60GHz, 16GB RAM, GTX-965M 2GB).
  5. Um guia simples sobre como jogar com cruzadores (Ou como não ser presa fácil de BB's) Introdução Ah os cruzadores! São os primeiros navios os quais temos contato, já no tier I e deveriam ser os mais simples de jogar, certo? Não é bem assim. Cruzadores são navios bem versáteis e divertidos de jogar, mas ocupam um espaço interessante: não são tão frágeis e ocultáveis como os DD's, e não tem o armamento e blindagem pesados que um BB carrega. Na vida real, cruzadores desempenharam e ainda desempenham um papel fundamental em todas as grandes marinhas do mundo justamente como navios versáteis e de apoio, e junto com a arte naval, eles evoluíram com o passar das guerras, sem nunca perder sua essência. Se você busca se sentir útil, oferecer apoio à encouraçados aliados e ajudar DDs com seu radar, enquanto se diverte e ganha créditos e XP no processo, cruzadores é sua classe! Nações Atualmente, você pode escolher cruzadores de quatro nações: Alemanha, Japão, USA e URSS (os britânicos estão chegando, mas como ainda não chegaram no dia que este tutorial foi concebido, eles vão ficar de fora). Como você já deve imaginar, cada nação tem suas características, com vantagens e desvantagens específicas, mas todas elas dividem algumas em comum: não são embarcações com uma blindagem muito espessa, e por isso mesmo, um capitão de BB irá ficar com um sorriso de orelha a orelha caso ver você navegando com sua lateral exposta à ele. Se você não quiser ser uma presa fácil, ai vai a primeira dica: seja um alvo difícil: nunca navegue com a lateral exposta e em linha reta e velocidade constante, caso contrário, vai estar pedindo para ser obliterado por um salvo de artilharia. Torpedos também podem ser uma ameaça. Você não é lento e grande como um encouraçado, mas isso não te torna imune aos mortais torpedos japoneses. Mais uma vez a dica: seja um alvo difícil de se acertar, seja imprevisível usando seu leme e sua velocidade. Outra dica importante é sempre jogar perto alguém, seja um BB, DD ou outros cruzadores. Um cruzador isolado não é eficiente para sua equipe e será facilmente afundado caso encontre uma força adversária superior. Dadas as recomendações gerais, vamos às nações: (OBS: vou abordar navios da linhas a partir do tier 5, em que eu considero que é onde as diferenças entre nações se tornam mais evidentes) ​ ​Marinha alemã (Kriegsmarine): Os cruzadores dessa árvore tem um ponto em comum: possuem um alcance muito bom em seu armamento principal. Isso se torna claro a partir do Konigsberg e seus 16,5 km. Isso já dá uma pista bem importante sobre como jogar eles (ao menos nos momentos iniciais da partida). Você deve manter distância, principalmente dos encouraçados, usando sua munição PE para causar incêndios e forçar eles a queimarem ou usarem o reparo (para você os queimar novamente MUAHAHAHA). Você também vem equipado torpedos com um alcance razoável, e também com a melhor Busca Hidroacústica do jogo caso um DD apareça por perto e se oculte na fumaça. Também a partir do tier 8 (Admiral Hipper <3) o armamento anti-aéreo vai fazer comandantes de porta-aviões evitarem atacar você. É uma linha bem balanceada nos outros quesitos, o que oferece um pouco de tudo para seu capitão. ​Marinha Japonesa (IJN): Os japoneses adotaram uma abordagem interessante em seus cruzadores. A partir do tier 5 (Furutaka), todos os cruzadores da linha são equipados com torpedos de longo alcance (10 km). Isso vem com um preço, uma vez que com a exceção do próprio Furutaka, todos eles disparam seus torpedos apenas para trás, o que os torna úteis quando você precisa fugir e percebe que um inimigo incauto está te perseguindo. Cruzadores a partir do Furutaka também são equipados todos com canhões de 203mm, com uma alta chance de incêndio, e você já sabe o que isso significa (tá pegando fogo bicho). Em contrapartida, sua velocidade de rotação é bem ruim, mesmo quando você usa skills de capitão ou módulos para mitigar esse problema. São cruzadores onde você precisa planejar onde você irá com uma antecedência (igual os encouraçados). A recarga deles também é lenta, então cada tiro errado são 15 segundos de uma interminável espera. Seu ocultamento é superior ao de outras nações, o que dá aos japoneses a possibilidade de serem cruzadores mais "independentes", podendo se afastar um pouco da frota e flanquear o inimigo. Cuidado, pois a defesa AA dos cruzadores japoneses não vai impedir um ataque de um porta-aviões contra você. Marinha dos EUA (USN): America! A marinha norte-americana é a única linha de cruzadores que não tem torpedos (a partir do tier 6 Cleveland), o que parece uma desvantagem, mas é apenas aparência. O poder desses navios está em suas armas. Elas não tem o alcance dos alemães ou o ocultamento japonês, mas principalmente a partir do tier 7 (Pensacola), os cruzadores são equipados com canhões de 203mm, com um poder de penetrar a blindagem inimiga a partir de ângulos que nenhum cruzador de outra marinha consegue. Isso somado à um valor de dano considerável do projétil PP faz com que o uso dessa munição seja mais viável para os EUA. Isso não significa que você só vai usar PP, mas quer dizer que você pode acertar a citadela de cruzadores com mais facilidade. Aqui preciso fazer destaque ao Pensacola, um navio com uma fama não muito boa. Por muito tempo e ainda hoje, o Pensacola é visto como um navio bem frágil para seu tier, já que enfrenta navios como o Myoko, Shchors e Yorck, que facilmente conseguem penetrar a blindagem de um Pensacola. Isso sim é verdade e eu mesmo sofri quando tive meu Pensacola, mas tirei dele lições valiosas. Uma delas, que também vale para todos é saber escolher suas batalhas. Um Pensacola isolado é uma presa fácil, mas quando aliado a uma frota ele pode somar seu DPM aos de outros navios, além de ajudar a derrubar cruzadores aliados e proteger os encouraçados de ataques de DDs. A partir do tier 8, cruzadores desta linha recebem Radar, um consumível que revela a posição de todos os navios num raio de alcance de pelo menos 9km. Marinha da URSS (VMF): De todos os cruzadores, são aqueles que possuem a blindagem mais frágil, problema esse que persiste até os tier mais altos como o Dmitri Donskoi e Moskva. Os navios soviéticos também são mais fáceis de serem detectados, e mesmo sendo rápidos tem um tempo de virada de leme bem longo, o que os torna propensos a ataques de torpedos de DDs e CVs, e além disso o calibre das armas é inferior ao das outras nações (Budyonny, Shchors e Chapayev são cruzadores tiers 6, 7 e 8 respectivamente e usam o mesmo canhão de 152mm contra os 203mm das outras nações) com exceção do tier 10 Moskva . Eles tem torpedos, mas seu alcance de 4 km os torna praticamente enfeites. Tudo parece bem ruim, então por que se dedicar a esta linha? Os cruzadores soviéticos são snipers de longo alcance, ficando as vezes atrás até de BBs. Isso se deve ao fato que o alcance dos canhões é extremamente longo, e sua trajetória permite você acertar consistentemente alvos a mais de 15km de você. Isso os torna parecidos com os alemães, com a diferença que como os soviéticos conseguem disparar mais tiros por salvo, a chance de causar incêndios é bem maior e irá trazer mais dor de cabeça para os comandantes de BBs. Sua munição PP é também muito boa, te permitindo causar dano considerável em alvos menos blindados como outros cruzadores. Soviéticos também possuem radar a partir do tier 8, sendo com os cruzadores da USN os únicos do jogo a terem esse consumível, sendo que seu alcance é superior, porém sua duração é menor. ​Concluindo​ Aqui se encerra este tutorial básico sobre cruzadores. Não foram abordados cruzadores premium como Atlanta, Kutozov, Atago e outros, mas as regras dadas aqui se aplicam muito bem a eles também. Siga as dicas dadas aqui e se divirta em altos mares com seu cruzador. Até mais! o7
  6. I'm interested in joining. Are still places left?
×